sexta-feira, 29 de maio de 2009

Para Elas!


ELE NÃO ESTÁ TÃO A FIM DE VOCÊ

Jennifer Aniston, Drew Barrymore, Ben Affleck, Scarlett Johansson, Jennifer Connelly, Justin Long, Kevin Connolly, Bradley Cooper...Um grande elenco,um pequeno filme!

Você realmente gosta deste cara, mas não consegue saber se ele gosta de você. Você inventa desculpas, decide que ele está confuso. Pare de se enganar. Existe uma explicação muito mais simples: ele não está afim de você. Esta é a lição que Gigi vai aprender. Romântica incorrigível, ela sai com Conor, que simplesmente não liga no dia seguinte. Quando ela vai à casa do bonitão, conhece Alex, colega de quarto de Conor e que tem uma visão muito clara sobre o mundo, empenhando-se em mostrar a verdade para Gigi numa viagem ao complicado mundo da mente dos homens. E esta história promete ficar ainda mais complicada: Conor está namorando uma cantora chamada Anna, mas ela gosta mais de Ben, que é casado com Janine...que trabalha com Gigi! Coloque a chefe das duas, Beth, no meio da história, e você vai ter uma grande e confusa comédia romântica!

O filme consiste em histórias paralelas de mulheres desesperadas em sua relação ou em busca de uma.Para os amantes do cinema o filme não engana e fica explicito a imagem de documentário.Cheios de estatístias,fatos e ditos populares o filme chega a cansar só no fato da repetição de "aconteceu com uma amiga","aconteceu com uma amiga de uma amiga minha". Eu até diria que o filme tem um clima de “a vida como ela é”com maquiagem hollywodiana e uma bela dose de bom humor.

Superando as minhas expectativas, “Ele não está tão afim de você” fala de relacionamentos de uma forma madura, lúcida e divertida. Problemas cotidianos das relações humanas, em uma visão interessante sobre relacionamentos entre homens e mulheres “reais”,convivendo com medos, confusões e principalmente com o que é socialmente esperado deles.

A parte boa do filme fica por algumas cenas engraçadas protaginizadas pelas as mulheres do filme.Cenas que fazem você lembrar fatos que já aconteceram com você! A personagem principal Gigi com certesa vai te lembrar alguem que você conheça ou até si próprio! A atriz da um banho de interpretação,que nos faz até esquecer dos grandes nomes do filme.

A pior parte do filme fica por conta da decepção que temos ao assistirmos um filme com Drew Barrymore e ela aparecer em miseras cinco cenas! E suas cenas ainda são cansativas e com tom de auto-ajuda...Péssimo!

O filme tem um grande elenco mas pouco assunto, o que faz a história se perder e as estrelas não brilharem no filme.


“Ele não está tão afim de você” é um filme que para indicar para as amigas e rir com os amigos, é também para aqueles que acreditam que AMOR só existe com sintonia e reciprocidade.Mas principalmente um filme feito para ELAS!


Trailer do Filme!
video

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Clássicos!



CANTANDO NA CHUVA



Feita em homenagem a todos os musicais realizados anteriormente, Cantando na chuva relata de forma bem humorada a transição do cinema mudo para o cinema falado. Um grande filme falado seria rodado, e os famosos atores do cinema mudo, Don Lockwood (Gene Kelly) e Lina Lamont (Jean Hagen) serão os protagonistas. Só há um probleminha: Lina tem uma voz horrível, e não consegue falar nem se virar com o microfone. Don acaba conhecendo Kathy Selden (Debbie Reynolds), uma corista aspirante a atriz. Ele logo tem a idéia de coloca-la dublando Lina.

e Kathy evolui para um inevitável romance.

http://www.adorocinema.com/filmes/cantando-na-chuva/cantando-na-chuva08.jpg

Cantando na Chuva é um dos maiores classicos musicais do cinema!Aliás, Cantando na Chuva não é só um musical, é uma comédia hilária e uma aula de um marcante período da história. Acho que esse deve ser um dos únicos musicais que, se tirarmos suas músicas, continua sendo um grande filme.
O roteiro de Cantando na Chuva foi escrito apenas após a escolha das canções que fariam parte do filme.
A música “Singing the Rain” foi feita por Nacio Herb Brown para o filme “The Hollywood Revue of 1929” e fez muito sucesso desde então.
http://www.adorocinema.com/filmes/cantando-na-chuva/cantando-na-chuva03.jpg

Não tem como falar deste filme sem citar a famosa cena da chuva!
Quem nunca viu a cena onde o Gene Kelly canta e dança debaixo da chuva?Mesmo quem não viu o filme, já viu alguma paródia ou homenagem da cena (Laranja Mecânica é um bom exemplo). Com certeza você já viu esse momento em algum especial de cinema na tv,num youtube da vida ou no famoso epsódio de Chapolin em que o mesmo faz uma imitação desta cena. Pois vou te falar uma coisa: Cantando na Chuva é muito, muito mais do que essa cena. É como o assassinato no chuveiro em Psicose. Uma grande cena, que ficou super famosa, mas que não faz sozinha o filme.
Na cena em que Gene Kelly dança na chuva, na verdade é utilizada uma mistura de água com leite; antes da gravação desta cena,Gene Kelly estava com 39 graus de febre e forte inflamação na garganta e refez a cena 16 vezes , isto sim é a sétima arte.
http://www.adorocinema.com/filmes/cantando-na-chuva/cantando-na-chuva06.jpg

Também não podemos(se isso acontecesse seria um crime!) deixar de citar a excelente atuação de Donnald O'Connor. Ele é simplesmente o cara! Não tem como não ficar de queixo caido com as cenas desse ator. Ele é responsável pelas cenas engraçadas e é o braço direito do nosso ator principal. Com certesa o melhor coadjuvante da história do cinema!!


O que eu mais gosto em cantando na Chuva é seu ar de “tudo vai ficar bem”. Você assisti ao filme e esquece de todos os seus problemas. Tem coisa melhor? O famoso feel good movie. Outra coisa super bacana é que, ao final do filme, você tem uma grande vontade de fazer tudo o que os atores fazem (será que eu sou o único doido que já cantou e dançou na chuva?). Mas aí vai a dica: antes de tentar imitar o Genne Kelly, afaste todos os móveis e tire coisas quebráveis de perto para evitar qualquer tipo de acidente. Experiência própria.

O filme hoje tem 58 anos desde sua estréia e ocupa a primeira colocação na Lista dos 25 Maiores Musicais Americanos de todos os tempos, idealizada pelo American Film Institute (AFI) e divulgada em 2006.

O maior clássico da história dos musicais! Onde os atores atuam,cantam e dançam de verdade...Um estilo de musical antigo,mas muito avançado para adolescente de uma escolinha...


CONFIRAM A CENA MAIS FAMOSA DO MUSICAL!

video

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Seção da Tarde!


Edward Mãos de Tesoura

Peg , uma vendedora de Avon, não está conseguindo vender muita coisa. Ela vive em uma comunidade assustadoramente igual, padronizada na Flórida e conhece todas as mulheres. Assim, se vê no desespero e resolve ir em uma mansão, meio abandonada e assustadora no alto de um morro que fica no final do “condomínio” de casas. Lá, ela encontra um rapaz de nome Edward. Ele, que não é humano e foi criado pelo Inventor, perdeu seu “pai” e passou a viver sozinho no casarão. Edward traz tesouras no lugar das mãos e Peg resolve levá-lo para casa, onde ele passa a enfrentar a beleza e a tristeza de ser diferente.

Primeiro filme (dos atuais seis) da dupla Tim Burton e Johnny Depp, Edward Mãos de Tesoura é um sucesso da Sessão da Tarde no Brasil e está marcado na memória de grande parte da população como um lindo e maravilhoso filme sobre um estranho cara com tesouras no lugar das mãos.

Eu mesmo achava que me lembrava bem do filme até comprá-lo recentemente por 12,90 e assistí-lo, deliciado, em uma parada manhã de sexta-feira. Lembro-me que enquanto assistia,minha mão perguntou "você comprou esse filme?" e nem mesmo esperando minha resposta ela disse "ele é lindo!". E realmente é.
Ao assistí-lo, finalmente entendi porque esse filme não é infantil. Havia anos (talvez uma década) que eu tinha assistido e só agora pude compreender os significados por trás de quase tudo aquilo, o tipo de coisa que crianças deixam passar direto.

Para começar, o bairro de Peg e sua família são padronizados. A imagem que nós temos dos americanos de cabeça fechada. Um bairro reto, com casas iguais (até nas cores: vermelho, verde, amarelo, azul; vermelho…) em ruas iguais. O pai é o trabalhador, a mãe vende Avon para as amigas, a filha viaja com os amigos e com o namorado e o filho brinca feliz no quintal, onde há uma churrasqueira para os finais de semana.
O bairro
O contraste da mansão abandonada onde Edward vive é mais do que evidente. No final da rua de Pen, que é sem saída, acabam as casas bonitinhas e coloridas e começa um morro com grandes e fechadas árvores escuras. A mansão é negra. Porém, seu quintal é recheado de plantas bem cordadas. Até a cor verde do mato lá da mansão é mais viva que o verde do mato do bairro, plastificado, moldado.Isso mostra uma coisa muito óbvia: o diferente. Edward é o diferente e uma sociedade moldada com certeza não saberia viver com isso. Tanto que Peg pega Edward para criá-lo em casa, não para levá-lo ao hospital. É como se não encarassem sua realidade.
A mansão

Pela parte de Edward, segundo o diretor Tim Burton, a idéia das tesouras é trazer a mentalidade infantil para a telona no papel assumido por Johnny Depp. As tesouras representam a criança que não pode encostar em nada, que é afastada do mundo dos adultos. Da mesma maneira, muitas vezes a realidade da criança é ignorada pelos pais que não entendem, nem parecem querer entender, o que está passando pela cabeça de seus filhos. Cada um segue sua vida e pronto. Como diria o Coringa: “Está tudo de acordo com o plano”.

Edward, porém, não poderia deixar de resultar em alguma coisa e tudo começa quando Kim retorna de viagem. Ela é a primeira a ter uma reação real a Edward, enquanto seu namorado, Jim, representa um outro lado da padronização americana: rebaixar e se aproveitar dos menores.
E é quando Edward é acusado indevidamente de invadir a casa de Jim que tudo cai sobre ele. Aí, a maravilha que ele era para todas as mulheres, cortando os cabelos delas e fazendo seus jardins, acaba-se. Até aquela que se jogava em cima dele passou a dizer que havia sido abusada. É o outro lado da moeda, de pessoas que não sabem compreender o mundo.

Edward

A vida de Edward é linda, realmente. O filme é todo lindo.
A atuação de Johnny Depp, que quase te faz esquecer dos outros atores, é de tirar o fôlego. Só deus sabe como ele ficou “fora” do estrelato até Piratas do Caribe, onde chutou Orlando Bloom e assumiu seu papel no topo do panteão hollywoodiano.

Cada uma de suas feições, cada uma de suas meras 169 palavras faladas durante todo o filme são perfeitas. Ele é um ator completo e mostrava isso aqui, já aos 27 anos de idade.
Tim Burton e Johnny Depp têm aqui sua obra-prima, o que eu considero sinceramente o melhor trabalho de ambos e um dos melhores filmes de todos os tempos.

Um fruto de uma mente estranhamente bonita, na qual o belo não quer significar nada com o exterior, mas sim tudo aquilo que guardamos conosco ao terminar de assistir. Perfeito.

video

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Telecine Pipoca!

"Pra quem curte ver filme em canais de tv fechadas ai vai uma boa pedida. P2-Sem Saída"

P2-Sem Saída

Muitas vezes, você acaba se frustrando por esperar algo de uma coisa que na verdade ela não apresenta o que você pensava que iria apresentar. Essa decepção ocorre muitas vezes, pois já é normal do ser humano deduzir as coisas quando vê uma imagem, um cartaz, enfim, algo que possa fazer termos uma intuição do que se trata.Como nesse filme,que nos deixa empolgado ao ver uma mulher ofegante segurando um machado.

Acabei de ver o filme “P2”, e não posso dizer que ele se encaixe nessa decepção, talvez porque o divertimento que ele me proporcionou tenha amenizado a tal frustração e feito com que eu aceitasse o que eu tinha acabado de ver quando os créditos finais começaram a subir.

Imagine tal situação: Um segurança psicopata preso no estacionamento de um prédio com uma das ultimas funcionarias que ia deixar o trabalho para ir para casa celebrar a ceia de Natal com a família. Ele prende ela com a intuição de fazer ela passar o Natal com ele no estacionamento, pois ele é carente de companhia e aparenta uma certa paixão doentia por ela.

Para quem tinha deduzido isso, parabéns! acertou, parece ser até cômico. Mas essa situação está longe de ser cômica quando o suspense psicológico e a luta por um Natal feliz e com vida começa a tomar conta do enredo. Sim, considerei “P2” um bom filme de suspense com algumas pitadas de gore que divertirá muita gente, porém, somente as menos exigentes, creio eu.

O filme possui certas situações um pouco forçadas, mas são poucas e não foi o suficiente pra eu me aborrecer com o filme. O roteiro, confesso, é simples, nada muito bem pensado com uma trama nada surpreendente. Baseia-se, realmente, na tentativa de sobrevivência de uma moça perseguida.

Se isso basta para uma diversão, vocês irão se divertir, pois vendo por esse lado, eu também me diverti. Mas acho que “P2” só é mais um filme legalzinho pra preencher as prateleiras e pra ser exibido no Supercine, pois não é filme que surpreende com inovações, resumindo-se em uma história simples, que poderá causar aceitação por simplesmente ser legal, nada mais.

Mas não há como falar desse filme sem citar a horrível e bem feita cena do esmagamento na parede e a belíssima atuação de Rachel Nichols e Wes Bentley que não faz feio como o segurança psicopata (pois ele realmente tem cara de psicopata ajudando muito na atuação), fazendo com que muitas pessoas após assistirem “P2”, passem a olhar com cautela se não estão sozinhos num estacionamento com um segurança altas horas da noite, cuja as intenções são desconhecidas.

Enfim,trata-se de um filme bem legal, tipo do filme que você fica falando “faz isso, faz aquilo… e blablabla"!!!

P2 - Sem Saída - Trailer


video

segunda-feira, 18 de maio de 2009


X-MEN ORIGENS:WOLVERINE

Acho que o filme consegue explicar satisfatóriamente a origem deste enigmático personagem. E se, por vezes parece que o desenvolvimento se arrasta um pouco, as cenas de ação são suficientes para nos fazer esquecer desse tempo perdido.
Para ser fiel à essência de Wolverine, o filme tem várias cenas e ação.A pancadaria é empolgante e, ao mesmo tempo, consegue esconder sua violência para que os fãs mais jovens não sejam deixados do lado de fora da sala de cinema.
Mas não são só as cenas de ação que fazem a alegria da platéia;Para os casais apaixonados que adoram ver filmes nada romanticos no cinema esse filme tambem é uma boa pedida,pois tras a história do primeiro amor do nosso personagem principal antes dele se transformar em Wolverine.Sim,como já sabemos essa história não tem um final feliz,mas pra quem gosta de um bom drama...
Na minha opnião o melhor do filme fica por conta da excelente montagem no inicio do filme,mostrando o nosso herói e seu irmão lutando na guerra.
Outra coisa marcante no filme é a grande perseguição de Dente-de-sabre e Wolverine.bem fiel aos quadrinhos as melhores cenas do filme ficam por conta dessa lendária briga!
O principal deslize da produção está na escalação de muitos personagens conhecidos das HQ. Nessa questão, é impossível não se lembrar de Homem-Aranha 3, onde Venom foi desperdiçado.
E para os fãs que se sentiram orfãs de um dos grandes personagens de X-men desde 2001 quando o filme foi lançado,como Gambit,já podem comemorar pois o cara dos truques com as cartas mostra a cara nesse filme.Ele apareçe em apenas cinco cenas,mas nada que possa desanimar seus fãs já que se tratam de excelentes cenas.Á quem diga que são as melhores!!
A fidelidade aos quadrinhos está apenas na essência dos personagens, como a interminável falação de Wade. Por outro lado, a eliminação do sotaque francês de Gambit pode irritar muita gente!

Ah,como de custume,continue sentado na poltrona(senão vai ficar como muita gente de pé parado na porta olhando a tela do cinema) pois mais uma vez encontramos cenas extras no fim filme,mas desta vez temos seis cenas diferentes.Isso deve ser algum truque contra a pirataria.

Em uma desses encontramos Logan bebendo em um bar quando o bartender pergunta:
-Bebe para esquecer?
E Logan responde:
-Não...Bebo para lembrar!!

Um excelente filme!
E que venham as continuações,ou outras origens!!